Arquivo da tag: Intel

Repórter Retro 079

Este é o Repórter Retro 079, produzido pela A.R.N.O. (Agência Retropolitana de Notícias)!

(MP3 para ouvir offline)

Do que falamos?
Trilha sonora

Random Chiptune Mix 31

Antes de sair…

Os episódios do Repórter Retro estão, como todo o conteúdo de Retrópolis, em muitos lugares: Spotify, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts. Ou então, se você é dazantiga que nem a gente, pode baixar o MP3 deste episódio clicando neste link para escutar mais tarde.

Além disso, não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Repórter Retro 077

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 077 do Repórter Retro.

Links do podcast

Música de fundo

Random chiptune mix 13

Ouvindo este episódio offline

Baixe o ZIP, descompacte e ouça com seu tocador de música preferido.

Onde este episódio (e todo o Retrocomputaria) está disponível

Os episódios do Repórter Retro estão, como todo o conteúdo do Retrocomputaria, em muitos lugares: Spotify, YouTube, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts.

Seu comentário é o nosso salário

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Crônica de uma morte anunciada: o Coprocessador Numérico x87

Assim como quem não quer nada, resolvi começar a ler sobre programação Assembly para processadores Intel do seu PC velho… mas a versão muderna, cheia de zilhões de instruções, registradores a dar com pau, mil maneiras de fazer operações paralelas e o escambau. Por que alguém faria algo tão insano? Ora raios…

Pois bem, ao longo dos mais de 40 anos que a arquitetura sobreviveu, níveis e mais níveis de funcionalidade foram sendo adicionados uns por cima dos outros, mantendo sempre todas as estruturas anteriores presentes:

16 bits modo real16 bits modo protegido32 bitsMMX64 bitsSSEAVX … e contando.

Correndo por fora, existiu, lá nos primórdios, um bicho chamado 8087 – o Coprocessador Matemático. Se seu PC tivesse esse chip, ele adicionava instruções para fazer operações matemáticas com números reais, não apenas inteiros, e também operações como seno, cosseno, logaritmos… a partir do 486, ele passou a ser incorporado ao processador principal, mas todas as velhas instruções como FMUL, FDIV, FCOS etc estavam lá, e usá-las sempre foi a melhor maneira de fazer contas. A alternativa era usar bibliotecas de ponto flutuante, lentas e nem sempre dentro do padrão (é o que os nossos retromicros clássicos usam).

Mas aí que tá… os novos conjuntos de instruções SSEn e AVX, planejados para realizar várias operações ao mesmo tempo num conjunto grande de números, também fazem operações de ponto flutuante. Aí, no capítulo sobre otimização deste livro, leio o seguinte:

Os seguintes critérios devem ser observados ao escrever código em Assembly que realize aritmética de ponto flutuante:
* (…)
* Em código novo, use as funções escalares das arquiteturas SSE ou AVX, em vez da FPU x87.

Pois é, a utilidade do velho chip, amigão dos estudantes de engenharia (e de tantas outras áreas) nos anos 80, chegou ao fim. Mais um dinossauro se dirigindo lentamente ao poço de piche. É provável que daqui a alguns anos, os quatro primeiros itens da cadeia de setas acima sejam abandonados e os novos processadores sejam puramente 64 bits.

Repórter Retro 040

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à altamente necromante edição 40 do Repórter Retro.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas sortidas

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Ken Shirriff começa a explorar o Intel 8087

Ken Shirriff está interessado no Intel 8087, o pai de todo o ponto flutuante nos computadores atuais. E iniciou a exploração descobrindo como o chip conseguia “gerar” a voltagem de -5V internamente.

Desenhando uma placa de desenvolvimento com um 386SX

pcb

O pessoal do EPITA System Laboratory queria fazer uma placa de desenvolvimento compacta, simples, debugável e customizável para ajudar o pessoal que está iniciando em programação x86 de baixo nível.

Tem um monte de placas de desenvolvimento x86 por aí, mas o pessoal do LSE resolveu fazer a deles. Com um Altera Cyclone IV… e um Intel 80386SX, ou melhor, Intel 80368SX modelo NG80386SXLP20 (baixo consumo de energia, 20MHz, 1986). E está tudo documentado no link e no Git do LSE.

P.S.: o Altera Cyclone IV e o Intel 80368SX agora são primos.

Por dentro do 1405 da Intel

Intel 1405 shift registers provide memory storage for a Datapoint 2200 display.

Lá por volta de1970 as memórias MOS começavam a ficar populares, mas ainda eram bastante caras. Por exemplo, a 3101 da INTEL custava USD$99,50 e te “proporcionava” 64 bits de armazenamento (sim, exatamente 8 letras!). Uma alternativa aos projetistas era usar um shift register, não era bem memória mas ao menos você garantia uns 512 bits (8 vezes mais!) e por um preço mais razoável.

Um deles é o 1405 da Intel, a nova vítima do incansável Ken Shirrif!

( OSNews )

Mosca Branca do dia: Micro Computer Machines MCM/70

OK, aposto que você não sabia que este bicho existia. Vamos listar as esquisitices?

MCM/70

  • Processador Intel 8008, o predecessor meio tosco do mais famoso 8080 (Ver: Altair 8800, CP/M).
  • Projetado e fabricado no Canadá.
  • Lançado em 1974 — um dos primeiros microcomputadores da história.
  • Duas unidades de fita embutidas.
  • Display de LED alfanumérico de uma linha.
  • Linguagem de programação residente em ROM: achou que seria BASIC? Sabe de nada, inocente! APL! Sim, aquela linguagem que é apenas ligeiramente menos insana que Brainfuck!
  • Tem um livro recente dedicado a ele, que você pode comprar na Amazon.
  • Mestre Jecel conjectura que o supracitado APL pode ter sido a primeira linguagem de programação a rodar nativamente em um microprocessador, numa demonstração pública feita em 11 de novembro de 1972.

E mais alguns links pra você se divertir: uma história da empresa e a coleção de materiais a respeito na Universidade de York.

(Matt Madison via G+)

Episódio 44 – IBM PC: o fim – Parte C

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Este é o episódio 44 do Retrocomputaria e, com um convidado que não é conhecido no prédio dele, retomamos onde parou o episódio 41 e falamos do fim do IBM PC e sua substituição pelo atual Wintel.

Nesta parte do episódio

A era dos processadores com nome em vez de número; “causos” de abusos a disquetes para perder a fé na Humanidade; e o dilema: montar ou comprar?

Também no episódio

Leitura de e-mails e comentários.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 44
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Sander, Giovanni e Juan
  • Convidado especial com verbete próprio na Wikipedia e no Knowledge Graph do Google: Laércio Vasconcellos.
  • Duração aproximada: 61 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas sortidas de jogos que alguns de vocês devem reconhecer quais são.
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Episódio 44 – IBM PC: o fim – Parte B

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Este é o episódio 44 do Retrocomputaria e, com um convidado que não é conhecido no prédio dele, retomamos onde parou o episódio 41 e falamos do fim do IBM PC e sua substituição pelo atual Wintel.

Nesta parte do episódio

Falamos do que o PS/2 deixou de duradouro para a indústria, a evolução do Windows e do padrão PC direcionado por outros que não a IBM (incluindo algumas idéias que não deram certo), e do eterno dilema evolução x compatibilidade.

Também no episódio

Histórias (e piadas nerd horríveis) nossas e do nosso convidado.

Seção de notícias.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 44
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Sander, Giovanni e Juan
  • Convidado especial com verbete próprio na Wikipedia e no Knowledge Graph do Google: Laércio Vasconcellos.
  • Duração aproximada: 88 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas sortidas de jogos que alguns de vocês devem reconhecer quais são.
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.