Arquivo da tag: ibm pc

De 0 a 1MB e adiante

Todo usuário de IBM PC e seus compatíveis (não esses PCs velhos de hoje em dia) sabe de cor e salteado esse mapa da memória aqui:

Mapa da memória do IBM PC. 1MB era o máximo acessável pelo Intel 8086 e seu "primo" 8088; os primeiros 640KB são a memória convencional; em uma máquina com 512KB, a parte entre 512KB e 640KB não era mapeada. Os 384KB entre o fim da memória convencional e o topo da memória acessável era a UMA ("Memória Alta"), com uma parte separada para a memória de vídeo e o final da UMA ocupada pela ROM BIOS.
Um IBM PC com 512KB de memória tem mais ou menos esse mapa de memória

Mas como chegamos neste mapa? Quais as limitações técnicas que impuseram estes limites? E, mais importante, como superar esses limites à medida que as aplicações foram pedindo?

Julio Merino escreveu dois posts, From 0 to 1MB in DOS e Beyond the 1MB barrier in DOS, que responde a todas essas perguntas, com todas as paradas obrigatórias em EMS, XMS, modo protegido do 286, a introdução da paginação e do modo VM86 no 386. Tudo isso para chegar no unreal mode e nos DOS extenders (que se tornaram praticamente obrigatórios nos jogos para MS-DOS a partir do final dos anos 80; para usar o exemplo mais famoso, DOOM carregava o extender DOS/4GW na inicialização). Muita informação. MESMO.

CP/M: um arquiteto desconhecido da microinformática… E alguns comentários.

Este é o título de um artigo no site It’s FOSS, falando a respeito do sistema operacional da Digital Research que todos nós conhecemos e que há algum tempo se tornou open source.

Mas nosso amigo Marcelo Sávio, que nos passou o link, enviou alguns comentários seus a respeito do CP/M, MS-DOS, IBM… Que valem a pena serem trazidos. Lembrar que falamos de CP/M inúmeras vezes, começando pelo episódio 11. E sobre o IBM-PC, falamos em vários episódios, começando pelo 41, passando pelo 44 (ambos com a participação de mestre Laércio Vasconcelos).

Continue lendo CP/M: um arquiteto desconhecido da microinformática… E alguns comentários.

BOOK 8088 versão 2.0

Falamos do BOOK 8088 num post-resumo da AliExpress; para quem não lembra, é um mini-laptop com tela de 7″ e um Intel 8088.

BOOK 8088
Sim, o BOOK 8088.

Agora, o criador do computador começou a vender a versão 2.0 do BOOK 8088, com algumas importantes mudanças:

  • Trocou a placa CGA por uma VGA (toda a glória de 640x480x256 cores!)
  • Adicionou uma porta serial (a boa e velha COM1)
  • Adicionou uma porta paralela (a conhecida LPT1)

O resto continua igual: 640KB de RAM, um CF de 512MB, entrada para fone de ouvido, uma placa de som Adlib OPL3, um conector ISA e uma bateria de 4000mAh.

Ah, o preço continua um pouco salgado para o meu gosto.

Quer comprar? Tem aqui e aqui, claro que na AliExpress.

(dica do Liliputing; o Brad Linder também parece bem interessado no BOOK 8088…)

Sexta dos amigos: A Gameline.

Nessa caminhada dentro desse fascinante universo da retrocomputação, fizemos muitos amigos. E alguns deles são fantásticos articulistas, que trazem conteúdos muito interessantes a serem compartilhados com todos. Já tivemos muito material aqui citado que foi inicialmente escavado pelo Eliazer Kosciuk (Klax),  o Paulo Garcia (do seminal Site Vintage Is The New Old) também redigiu por aqui… E também temos um material muito interessante que nos foi trazido por esse cidadão aí do lado, o Marcelo Sávio.

Como ele nos autorizou a trazer o material que ele tem publicado na rede social de Mark Zuckerberg para cá, começamos com um conteúdo muito interessante, relacionado à uma das paixões do Marcelo, que é o Atari 2600. Mas, como o material ficou muito grande, dividiremos em duas partes.

Continue lendo Sexta dos amigos: A Gameline.

Domingo dos vídeos: DOScember enquanto Papai Noel não vem.

Playlist de #DOScember.

Existe uma espécie de tradição do povo da retrocomputação, que é ter vídeos temáticos por meses. Logo, no mês de março, temos vídeos dedicados ao Macintosh (o Marchintosh). Em setembro, vídeos ligados aos computadores da Tandy (o Septandy). E em dezembro, temos vídeos vinculados aos IBM-PCs (velhos), e que rodam MS-DOS, o DOScember.

Logo, fui eu lá pesquisar a respeito e encontrei uma playlist com 110 vídeos (!) disponíveis para serem vistos! Quer dizer, eram 110 vídeos quando escrevi essa resenha, pode ser que aumente – dezembro ainda não acabou.

E esta é uma oportunidade de conhecer mais canais de retrocomputação. Por exemplo, há vários vídeos do canal Retro Dragon, e mais um tanto do CrossGenGameplay (mais focado em jogos), fora vários outros canais, como THEtechknight, creepingnet e Blank Seg.

Enquanto você espera o peru de Natal ser assado, as rabanadas estarem prontas e as piadas de quinta série cessarem, recomendamos que você explore essa playlist, cujo link está lá em cima. E reiterando o que já falamos no Retrohitz 250, nossos votos de Boas Festas, Feliz Natal e um ótimo e retrocomputacional 2024. Mas a gente continua postando até lá postando por aqui.

PS: Bem que  poderia ter um MaySX no mês de maio, né?

IBM-PC, 42 anos.


Apesar de não ser uma efeméride, devemos lembrar que no último sábado, 12 de agosto de 2023, o IBM 5150 completou 42 anos. Sim, o computador que acabou dominando a cena microcomputacional a partir dos anos 1990 no mundo todo tem origem nesse desktop aí em cima. alguns o acham bonito, outros acham horrível. Eu acho ele com a cara de um típico equipamento da IBM.

Muito já foi falado a respeito do IBM-PC aqui no Retrópolis. Tivemos os episódios 41 e 44 (com a presença de mestre Laércio Vasconcelos), falamos indiretamente dele em episódios como o das interfaces gráficas (116) e os primeiros 10 anos do Windows (118). E até no Retrohitz tivemos mais presença do IBM-PC recentemente, em episódios como o 227 , o 231, com a música do jogo Vinyl Goddess from Mars, e o 236, com os jogos Chip’s Challenge e Major Stryker.

Todos sabem que retroPC não é muito a nossa praia, mas a história envolvida nos interessa muito. E um amigo nosso e ouvinte, Marcelo Sávio, em um grupo de amigos, falou-nos um pouco mais sobre o contexto da época, e de como o IBM-PC acabou sendo a grande impulsionadora da Microsoft.

Continue lendo IBM-PC, 42 anos.

Descobertas retrocomputacionais na AliExpress.

Todo mundo conhece a AliExpress. Todo mundo sabe que tem de tudo à venda na AliExpress, de capacete para galinha até toboágua inflável. Mas você sabia que há vários itens retrocomputacionais à venda por lá?

Continue lendo Descobertas retrocomputacionais na AliExpress.

Como fazer seu PC ir de Velho para Clássico?

Instalando placas ISA, claro! Mas como assim? Nenhum PC fabricado há menos de 20 anos tem slots ISA. Como fazer?

Com vocês, o novíssimo adaptador dISAppointment! Os mais corajosos podem mandar fazer a placa a partir deste projeto e desfrutar as delícias do desapontamento como se nos anos 90 estivéssemos.

(Mas fica esperto com a compatibilidade, placas-mãe de 2017 para cá podem não ter os sinais necessários)

Dividir para conquistar

Há muitos anos tem-se como óbvio que multiplicações e divisões são coisas feitas no hardware. São instruções de Assembly em todo microprocessador digno do nome. Mas nem sempre foi assim. Na era dos 8 bits, o normal era o sistema operacional ter que fazer essas operações por algoritmo, como uma criança fazendo dever de casa de Matemática no segundo ano.

O 8086/8088 (dos primeiros IBM PC) foi um dos primeiros a fazer divisão por hardware, e aqui temos (e também nesta thread no Mastodon) a engenharia reversa dessa operação, feita por (oooooh surpresa) Ken Shirriff.

Trucco truccando de novo na MSXRio

Adaptador de controle de Mega Drive e de PC para o MSX. O tchan é o seguinte: dois dos botões de tiro que sobram são “auto-fire” dos dois botões principais. E você pode controlar a velocidade da repetição com o start! E mais: o MESMO adaptador serve pra controles de Mega e de PC!

Em breve, nas melhores casas do ramo.