Arquivo da tag: ibm pc

Retrohitz 227 – IBM PC

Bem-vindos ao Retrohitz, um serviço cultural da Municipalidade de Retrópolis!

Sobre o episódio 227

Também não tínhamos nenhum episódio musical falando do IBM PC clássico. Por isso, resolvemos mais esta falha com três jogos das antigas: 4D Sports Tennis, World Tour Tennis e Fuzzy’s World of Miniature Space Golf.

Continue lendo Retrohitz 227 – IBM PC

Mosca Branca do dia: Dynalogic Hyperion

O curador do site vintagecomputing.ca resolveu sambar na cara da sociedade, botar pra rodar uma versão customizada (e completinha com os manuais) do Lotus 1-2-3 no seu Dynalogic Hyperion lindão lindão zero bala e postar no Twitter.

Ahn? Dáina o que hiper o que?

Micro baseado em Intel 8086 — e não 8088, ou seja, 16 bits raiz. Saiu em 1983, dois meses antes do Compaq Portable. Só que… não era 100% compatível a nível de hardware com o IBM PC (daí a necessidade de versões customizadas dos softwares mais populares). E a qualidade dos drives de 5″¼ deixava a desejar. Ficou menos de dois anos no mercado.

Em algum lugar  no Multiverso, a Era dos Clones começou no Canadá em vez do Texas.

Mais informações sobre o micrinho (para certas definições de “inho”, já que pesava mais de 8 kg) você pode encontrar aqui:

https://www.old-computers.com/museum/computer.asp?st=1&c=339

https://en.wikipedia.org/wiki/Hyperion_(computer)

Vídeo do dia: A História Secreta do Ctrl-Alt-Del

Dave Plummer, ex-engenheiro da Microsoft e dono de um canal que muito recomendamos assinar, nos conta a historinha por trás dessa notória combinação de teclas.

Repórter Retro 074

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 074 do Repórter Retro.

Links do podcast

Música de fundo

Hard Chiptune Mix 2

Ouvindo este episódio offline

Baixe o ZIP, descompacte e ouça com seu tocador de música preferido.

Onde este episódio (e todo o Retrocomputaria) está disponível

Os episódios do Repórter Retro estão, como todo o conteúdo do Retrocomputaria, em muitos lugares: Spotify, YouTube, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts.

Seu comentário é o nosso salário

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

E os links que foram divulgados na Conversa na Praça em Retrópolis?

Na última RetroRio, tivemos uma conversa muito produtiva, onde foram citados vários conteúdos interessantes relacionados a retrocomputação, e na medida do possível eu coletei, copiei e estou trazendo agora para vocês. Divirtam-se!

Continue lendo E os links que foram divulgados na Conversa na Praça em Retrópolis?

Episódio 116 – Interfaces Gráficas – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 116 do Retrocomputaria, começando nossa décima segunda temporada! Uau! (E com uma molecagem específica de início de temporada)

Sobre o episódio

Pixels! Ponteiros! Janelas! Menus! Botões! Diálogos! O que são? Como vivem? De que se alimentam?

Nesta parte do episódio

Origens, a Mãe de Todas as Demos, o pioneirismo da Xerox, a Apple se fazendo de inimiga do Grande Irmão (hahaha) e as primeiras incursões na arquitetura PC.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas em baixa resolução… acho.

Ouvindo este episódio offline

Baixe o ZIP, descompacte e ouça com seu tocador de música preferido.

Onde este episódio (e todo o Retrocomputaria) está disponível

Os episódios do podcast estão, como todo o conteúdo do Retrocomputaria, em muitos lugares: Spotify, YouTube, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts.

Seu comentário é o nosso salário

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Masoquismo do dia: Usando fita cassete num IBM PC original

O IBM PC original (ouça a parte 1 e a parte 2 do nosso dossiê) saiu com interface de cassete e BASIC em ROM, como quase todos os outros computadores pessoais da época. Só que ninguém usava cassete no IBM PC, todo mundo botava ao menos um drive de disquete. Todo mundo… até agora.

No momento em que escrevo, este vídeo ainda não está com legendas, então peço desculpas aos não-angloparlantes. Aliás, desculpas não, toma tendência e se matricula num curso de inglês.

Com direito a sintetizar música pelo gravador!

(Via Ronaldo Gazel no grupo Retrocomputaria do FB)

Os 20 maiores computadores pessoais, segundo o The Guardian

Na opinião deste humilde escriba, listas dos N melhores, ou dos N maiores, ou dos N mais influentes etc, só servem pra causar polêmica. Mas como a gente gosta de uma treta, vamos postar o link do artigo (obrigado Mario Cavalcanti) e já dando o spoiler da lista:

20. Dragon 32
19. Atari ST
18. Acorn Electron
17. Sinclair ZX81
16. Texas Instruments TI-99/4A
15. Altair 8800
14. Amstrad CPC 464
13. Sharp X68000
12. Apple Macintosh
11. MSX
10. TRS-80
09. Commodore VIC-20
08. NEC PC-88
07. Atari 800
06. BBC Micro
05. Apple II
04. ZX Spectrum
03. Commodore 64
02. Commodore Amiga
01. (Velho é seu) IBM PC

O site aceita comentários, tá? (EDIT: aceitava. Agora tá fechado.)

Crônica de uma morte anunciada: o Coprocessador Numérico x87

Assim como quem não quer nada, resolvi começar a ler sobre programação Assembly para processadores Intel do seu PC velho… mas a versão muderna, cheia de zilhões de instruções, registradores a dar com pau, mil maneiras de fazer operações paralelas e o escambau. Por que alguém faria algo tão insano? Ora raios…

Pois bem, ao longo dos mais de 40 anos que a arquitetura sobreviveu, níveis e mais níveis de funcionalidade foram sendo adicionados uns por cima dos outros, mantendo sempre todas as estruturas anteriores presentes:

16 bits modo real16 bits modo protegido32 bitsMMX64 bitsSSEAVX … e contando.

Correndo por fora, existiu, lá nos primórdios, um bicho chamado 8087 – o Coprocessador Matemático. Se seu PC tivesse esse chip, ele adicionava instruções para fazer operações matemáticas com números reais, não apenas inteiros, e também operações como seno, cosseno, logaritmos… a partir do 486, ele passou a ser incorporado ao processador principal, mas todas as velhas instruções como FMUL, FDIV, FCOS etc estavam lá, e usá-las sempre foi a melhor maneira de fazer contas. A alternativa era usar bibliotecas de ponto flutuante, lentas e nem sempre dentro do padrão (é o que os nossos retromicros clássicos usam).

Mas aí que tá… os novos conjuntos de instruções SSEn e AVX, planejados para realizar várias operações ao mesmo tempo num conjunto grande de números, também fazem operações de ponto flutuante. Aí, no capítulo sobre otimização deste livro, leio o seguinte:

Os seguintes critérios devem ser observados ao escrever código em Assembly que realize aritmética de ponto flutuante:
* (…)
* Em código novo, use as funções escalares das arquiteturas SSE ou AVX, em vez da FPU x87.

Pois é, a utilidade do velho chip, amigão dos estudantes de engenharia (e de tantas outras áreas) nos anos 80, chegou ao fim. Mais um dinossauro se dirigindo lentamente ao poço de piche. É provável que daqui a alguns anos, os quatro primeiros itens da cadeia de setas acima sejam abandonados e os novos processadores sejam puramente 64 bits.

Retrohitz 198 – (Mais) Yamaha FB-01

http://www.retropolis.com.br/wp-content/uploads/2013/02/retrohitz_vitrine_570x190.png

Este é o episódio 198 do Retrohitz.

Neste episódio

Voltamos ao sintetizador Yamaha FB-01, um sintetizador simples e de baixo custo, mas que ainda assim é capaz de tirar sons interessantes. Desta vez, músicas de jogos de IBM PC.

Lista de músicas:

  1. Colonel’s Bequest
  2. Codename – Iceman
  3. Leisure Suit Larry 3
  4. Police Quest 2 introduction
  5. Silpheed intro and first level
  6. Space Quest 3

Ouvindo este episódio offline

Baixe o ZIP, descompacte e ouça com seu tocador de música preferido.

Onde este episódio (e todo o Retrocomputaria) está disponível

Os episódios do Retrohitz estão, como todo o conteúdo do Retrocomputaria, em muitos lugares: Spotify, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts.

Seu comentário é o nosso salário

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.