Arquivo da tag: Doom

Não era minha ideia postar isto. Fui coagido.

Estávamos conversando no chat, eu, Ricardo Pinheiro, e Giovanni Nunes. Os outros dois diretores estavam offline. O assunto era linguagem C. O Ricardo falou algo e eu respondi uma gaiatice com uma letra de música. Qual, não vem o caso. Aí começa a coação: o Ricardo quis que eu publicasse a gaiatice aqui no blog.

Eu argumentei que só tinha duas estrofes. Só admitiria publicar se estivesse completo, como aquela outra que eu fiz anos atrás e que nunca viu a luz do dia. Aquela do Raul.

Aí o Ricardo exigiu, peremptoriamente, que eu publicasse aquela. Não tive mais argumento pra recusar. Então lá vai.
Continue lendo Não era minha ideia postar isto. Fui coagido.

Episódio 104 – First Pereba Shooter – Parte B

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 104 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

Chegou dezembro, chegou nosso episódio de jogos! E usamos serra elétrica, metralhadora, lança-foguetes, BFG 9000 e BOLINHAS DE GUDE para contar um pouco sobre jogos de tiro em primeira pessoa.

Nesta parte do episódio

Continuamos nossa jornada pelo mapa do FPS a partir de DOOM, falando de jogos inspirados/copiados/etc; pulamos nosso ponto temporal de corte pra poder falar de outros FPS seminais dos anos 90 e do legado desses jogos seminais (sim, tem Duke Nukem 3D e Quake).

Links do podcast

Música de fundo

Tiro, porrada e bomba.

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Episódio 104 – First Pereba Shooter – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 104 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

Chegou dezembro, chegou nosso episódio de jogos! E usamos serra elétrica, metralhadora, lança-foguetes, BFG 9000 e BOLINHAS DE GUDE para contar um pouco sobre jogos de tiro em primeira pessoa.

Nesta parte do episódio

Vamos aos anos 70 para contar a gênese do First Person Shooter. Passamos por computadores, terminais, e armas de todos os tipos até chegar em Wolfenstein 3D e DOOM.

Links do podcast

Música de fundo

Tiro, porrada e bomba.

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Repórter Retro 045

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 045 do Repórter Retro.

Esta edição é dedicada a Steve Bak, programador Amiga e Atari ST.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas sortidas

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Festa e megawad para os 25 anos de DOOM

Em 10 de dezembro de 1993 um certo jogo apareceu nas BBS e outros lugares especializados em shareware e… bem, o resto é história que, vocês lembram, contamos aqui.

DOOMguy (ou DOOM Slayer): há 25 anos matando demônios e limpando a barra da UAC

John Carmack aproveitou para lembrar de algumas coisas sobre o design de DOOM.

Já John Romero, não satisfeito em escrever sobre o processo produtivo, tirou a BFG9000 do armário e arremessou um megawad na nossa direção.

SIGIL é um megawad com 9 níveis single-player e 9 níveis deathmatch; serve, também, de um “Episódio 5”, já que a história é contada após os quatro episódios do DOOM. O nível será gratuito, embora exija a versão registrada do DOOM.WAD, e estará disponível em fevereiro de 2019…

…mas, até 24 de dezembro, estará disponível o pré-registro para duas fanboxes; a padrão, com caixinha, música de Buckethead, o WAD em pendrives USB em formato de disquete de 3,5″ (já quero) e a ilustração lindona de Christopher Lowell, e a especial, com tudo isso e mais camiseta, poster e o busto de John Romero.

Os cheat codes de DOOM

Codex, uma série no YouTube sobre cheat codes e sua influência, lançou seu primeiro documentário – e, como não poderia deixar de ser, é sobre DOOM.

(via)

Desenvolvimento do Doom para o 3DO

E conforme prometido no episódio de ontem, o vídeo de Rebecca Heineman, narrando o inferno a epopeia que foi o desenvolvimento da versão do Doom para o 3DO com direito a…

  • A razão pela qual o código fonte foi disponibilizado;
  • O motivo do jogo ter as mesmas fases da versão do Atari Jaguar;
  • O fato de rodar em uma tela pequenina e de tamanhos maiores só estarem disponíveis via cheat;
  • O por que da trilha sonora estar em Red Book;
  • etc

E de brinde você ainda saberá…

  • Como era o SDK de desenvolvimento para o 3DO e
  • Uma pequena aula sobre implementação de matemática de ponto fixo em assembly de processadores ARM¹!

(¹) Mas que vale para qualquer arquitetura de processador que só trabalhe com números inteiros.

Episódio 88 – DOOM – Parte B

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 88 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

DOOM, caramba! E precisa de mais?

Nesta parte do episódio

Versões para consoles, falar mal do 3DO (novidade), Amiga, DOOM Engine, código-fonte, descendentes e influências, e causos nossos.

Links do podcast

Música de fundo

Trilha sonora para você rodar DOOM e matar demônios enquanto ouve este podcast.

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Episódio 88 – DOOM – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 88 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

DOOM, caramba! E precisa de mais?

Nesta parte do episódio

Visão geral sobre FPS, id Software, UAC, Marte, shareware, LAN party, WAD, sucesso, trilha sonora, Trent Raznor, WASD, controvérsias, versões oficiais.

Links do podcast

Música de fundo

Trilha sonora para você rodar DOOM e matar demônios enquanto ouve este podcast.

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Clone do Doom para Amiga tem o código-fonte liberado.

A empresa Black Magic, em 1995, produziu um clone daquele FPS que dispensa apresentações, Doom. O jogo se chamava Gloom. E segundo o pessoal do Vintage Is The New Old, a Amiga Power colocou-o entre os Top 20 jogos de Amiga de todos os tempos (na posição 18). Ou seja, o jogo é bom.

Pois é, passados 20 anos, o código-fonte foi posto no Github, e você verá que foi quase todo escrito em Assembler, com umas pitadas de Blitz Basic 2. O código está disponível do jeito que está, pode ser que não esteja completo, mas será que tem alguém bravo o bastante para montar?

Fonte: Amiga News.