Arquivo da tag: Marcus Garrett

Repórter Retro 080

Este é o Repórter Retro 080, produzido pela A.R.N.O. (Agência Retropolitana de Notícias)!

(MP3 para ouvir offline)

Do que falamos?
Trilha sonora

Random Chiptune Mix 41

Antes de sair…

Os episódios do Repórter Retro estão, como todo o conteúdo de Retrópolis, em muitos lugares: Spotify, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts. Ou então, se você é dazantiga que nem a gente, pode baixar o MP3 deste episódio clicando neste link para escutar mais tarde.

Além disso, não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Jogos 80 e Espectro agora na loja virtual da Clube MSX

Nós falamos sempre que possível da revista Clube MSX, do nosso chapa Mario Cavalcanti. E já falamos da revista Jogos 80, do nosso amigo de longa data Marcus Garrett, e da revista luso-brasileira Espectro, sobre o ZX-Spectrum Next.

Agora, você sabia que elas podem ser adquiridas pela loja da Clube MSX? Não? Então segue a capivara.

Continue lendo Jogos 80 e Espectro agora na loja virtual da Clube MSX

Repórter Retro 053

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 53 do Repórter Retro.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas sortidas

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Marcus Garrett mostra Shota Nakama…

…na cama. Não, isto não é um pleonasmo.

Já havíamos noticiado com alguma antecedência (com a maturidade que nos é peculiar) a vinda do músico japonês ao Brasil, para tocar no Brasil Game Show. Nosso parça Marcus Garrett aproveitou a presença do artista e convidou-o a jogar no quarto retro especialmente montado para o documentário LOADING.

E, como o quarto tem uma cama, nada mais natural que tivéssemos, rufem os tambores… Shota Nakama na cama.

SAI QUINTA SÉRIE
SAI
SAI DESSE CORPO QUE NÃO TE PERTENCE

(Via)

E a revista Jogos 80 chegou aos 15 anos e à edição 21!

A revista Jogos 80, do incansável (e louco) Marcus Garrett, chega à sua 21a edição, comemorando 15 anos, e abre a sua pré-venda. Sim, depois de iniciativas como a Clube MSX, a equipe da J80 se aventurou a fazer edições em papel, e essa é uma edição mais do que especial, incluindo novidades.

Continue lendo E a revista Jogos 80 chegou aos 15 anos e à edição 21!

Jogos 80 nova… E com novidades!

Vocês todos conhecem a revista Jogos 80, trabalho do nosso chapa Marcus Garrett. Então, a edição no. 19 saiu agora no finalzinho de julho (sim, estamos atrasados com a notícia). Além dos artigos bacanas, nessa edição tem uma surpresa bem interessante.
Continue lendo Jogos 80 nova… E com novidades!

Crowdfunding do dia: MICRO80, no YouTube

Então, nosso chapa Marcus Garrett iniciou um novo projeto de financiamento coletivo. Depois do bem-sucedido documentário sobre a história dos videogames no Brasil (que vocês conhecem e, espero, tenham ajudado), ele iniciou a campanha para fazer um programa mensal no YouTube, é o MICRO80.

A proposta é ser um programa de entrevistas para resgatar a história da Microinformática no Brasil – que nós sabemos, muito rica e multifacetada. Eles já conseguiram o local onde gravar, que é na PUC-SP. Os vídeos serão disponibilizados no YouTube.

O programa será uma mesa redonda, segundo ele mesmo um pouco mais histórico e um pouco mais sério do que nós, meliantes que cometem o Retrocomputaria (*), mas assim como nosso podcast é, cheio de informações históricas e dados relevantes. Se você já quiser ir lá, clique aqui (ou no banner aí em cima) e já vá lá contribuir.

Continue lendo Crowdfunding do dia: MICRO80, no YouTube

Resenha: documentário “1983: O Ano dos Videogames no Brasil”

Nos primórdios deste Retrocomputaria, resenhamos os dois livros de Marcus Garrett sobre a chegada dos videogames ao Brasil, 1983: O Ano dos Videogames no Brasil e 1984: A Febre dos Videogames Continua. Desnecessário dizer que, quando Garrett se juntou à Zero Quatro Mídia para transformar os livros em um documentário, toda a equipe da Retrocomputaria apoiou e ajudou no financiamento coletivo da empreitada. Ficamos bem tristes quando não pudemos ir na primeira exibição.
Mas tudo bem, as recompensas do financiamento coletivo chegaram.

CD com a trilha sonora e Blu-Ray do documentário.

Para compensar o atraso das entregas, tanto o CD quanto o Blu-Ray vieram em embalagens “normais” em vez de envelopes; com isso, podem fazer parte da coleção de músicas e vídeos de quem os recebeu, sem nada a dever ao que se encontra no mercado em termos de qualidade de empacotamento.

Sobre o documentário em si, que está disponível no Youtube (vejam no final do texto), não há muito o que dizer: não foge – e nem haveria como fugir – dos livros, os infográficos são bem bacanas e lembram um pouco o estilo popularizado em Crossy Road (ou seja, coisa boa) e as entrevistas e depoimentos são o ponto alto, indo desde quem participou da criação do Telejogo a Washington Olivetto revelando seu jogo predileto de Atari.

Sobre o que NÃO está disponibilizado no Youtube…

Os extras são funcionais mas bem agradáveis: fotos de bastidores que contam a história da feitura do documentário, teasers, brutos do Youtube, making of da narração (para quem ainda não identificou, o documentário é narrado por Flávio Dias, mais conhecido por dublar o Beakman) e diversos pontos bem interessantes que adicionam ao documentário, envolvendo prêmios em Cannes, decisões da Gradiente, confusões na porta da Milmar, o início dos eSports no Brasil e porque só no Brasil o Astrosmash do Intellivision tem contagem de tempo.

O CD, com a trilha sonora original feita pelo Pulselooper e Droid-ON, é ótimo e funciona bem fora do contexto do documentário; para quem precisa de uma trilha sonora chiptune para tirar o pó do seu aparelho de CD, é uma excelente pedida.

Mesmo que não tivesse nada físico, mesmo que só tivesse o documentário digital para download, estaríamos bem felizes com a realização do sonho de Garrett de preservar a História da chegada dos videogames a um país que meio que faz questão de esquecer o seu passado. Para quem ajudou na confecção do documentário e pode receber sua cópia física, é mais do que isso: é o orgulho de ter uma parte desta preservação e de poder olhar e pensar que, no final, tudo valeu a pena.

“1983: O Ano dos Videogames no Brasil”, a estreia é nesse sábado!

Se você colaborou com a confecção do documentário “1983: O Ano dos Videogames no Brasil“, do nosso chapa de longa data Marcus Garrett, lembre-se que a primeira exibição será no próximo sábado, dia 16 de setembro, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo.

O documentário será exibido no horário da tarde (entre 13h30 e 14 hs), de forma gratuita, mas antes você tem que ir lá e pegar o ingresso na bilheteria do MIS. A lotação da sala é de 172 pessoas, então se você chegar atrasado, perdeu.

Haverá também uma exposição de videogames, de forma que será possível também jogar um pouco (ou muito), e teremos também os livros do Garrett (“1983+1984: Quando os Videogames Chegaram” e “Jogos Eletrônicos & Eu: Crônicas de um Passado Presente”) à venda. Se chorar, rola um autógrafo.
Eu não poderei ir (chuif), mas se alguém puder ir e colaborar conosco enviando-nos fotos/vídeos/texto, agradeceremos imensamente e daremos todos os créditos no post.

ZX-Spectrum Next surfando na onda retro.

O ZX-Spectrum Next continua sambando na cara da sociedade. Ele ganhou um site oficial (com direito a post no El Mundo del Spectrum), um novo e exclusivo jogo, Wonderful Dizzy, feito pelos Oliver Twins, e uma revista em português sobre o dito cujo, a revista Espectro. Ela é feita em Portugal mas com inúmeros palpites do sempre presente (e nosso chapa) Marcus Garrett.
Se você quiser uma edição impressa, clique aqui, logue via Livro de Faces e manifeste seu interesse. O custo é de 3,90 euros e o Garrett vai receber as revistas e redistribuir aqui, em solo pátrio. Essa primeira edição terá 24 páginas, é uma experiência e no futuro, é possível que eles liberem o PDF.