Arquivo da tag: Mattel Aquarius

Repórter Retro 053

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 53 do Repórter Retro.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas sortidas

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Repórter Retro 052

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos à edição 052 do Repórter Retro.

Links do podcast

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Episódio 72 – Ásia – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Já falamos do Japão, mas também houve muita retrocomputação no Extremo Oriente, no subcontinente indiano e no Oriente Médio. Este episódio dá uma volta pela Rota da Seda retrocomputacional.

Nesta parte do episódio

Iniciamos nossa caminhada por Hong Kong, viajamos para Taiwan, desembarcamos na China e chegamos na Coreia do Sul.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 72
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 61 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas que nos remetem a artes marciais
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Vídeo do dia: Animando no Matel Aquarius

O vídeo é de 2011, mas como é quase certo que ninguém por aqui viu antes, aqui está um pequeno clipe de 28 quadros — cerca de um segundo – em loop tocando no magérrimo Mattel Aquarius. Aparentemente, o autor Chris Martin fez software para converter os vídeos e tocá-los a partir de um software em ROM (prestem atenção no cartucho pelado na marca de 9 segundos).

Demonstrando mais uma vez a velha máxima: não existe micro ruim, existe falta de disposição pra programar.

(Retro Battlestations via Giovanni Nunes)

Outra opinião: O Golpe do Micro Doméstico

Este artigo é uma tradução de The 8-bit Home Computer Bait and Switch, publicado no blog Nerdly Pleasures e postado aqui com permissão do autor.

No início dos anos 80, consoles de videogame e micros domésticos competiam entre si pelo bolso do consumidor. Os micros, particularmente os da Commodore, eram propagandeados como algo que serve para muito mais do que jogos (coisa que eles também faziam direitinho). O papai poderia gerenciar as finanças domésticas, a mamãe poderia ter um banco de receitas, e as crianças poderiam aprender com programas educacionais e digitar os trabalhos do colégio em um processador de texto. Assim os computadores domésticos eram apresentados ao consumidor nas prateleiras das lojas. A princípio, os mais amigáveis em termos de preço e capacidades eram o Atari 400 e (com alguma boa vontade) o 800, os Commodores VIC-20 e 64, o TI-99/4A e o TRS-80 Color Computer. Os da Apple, muito caros, eram populares entre hobistas, educadores e pequenos empresários. Os da IBM (ainda mais caros) eram comprados quase que exclusivamente por usuários corporativos e empresas de desenvolvimento de software.

Continue lendo Outra opinião: O Golpe do Micro Doméstico

Usando o ZX-Basic Compiler para criar cartuchos novos de — acredite — Mattel Aquarius

Apareceu na lista de Mattel Aquarius (sim, eu assino, algum problema? Tão olhando estranho pra mim por que? Eu sou normal!) um anúncio do usuário nitrofurano dos fóruns AtariAge. Ele conseguiu usar o compilador ZX Basic (já proseado há muitas luas neste blog) para gerar ROMs para este obscuro micro.

No momento em que escrevo, o trabalho está em rápida mutação. Veja neste tópico de discussão na AtariAge.

zxbasicaquarius