Arquivo da tag: Código Fonte

VirusLQP-79 teve o código-fonte aberto.


O usuário Pentacour, no Github, disponibilizou o código-fonte do jogo VirusLQP-79, submetido recentemente ao concurso MSXDev’18. O jogo está todo em Assembly, e se você é forte o bastante, deverá baixar o código-fonte e estudá-lo para aprender como fazer as coisas… Ou desaprender tudo.

O código-fonte do Eudora

O primeiro contato de muita gente oldskool de internet com o e-mail, teve seu código liberado graças ao esforço incansável do Computer History Museum.

Interessado? O código está aqui. Divirta-se.

Episódio 88 – DOOM – Parte B

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 88 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

DOOM, caramba! E precisa de mais?

Nesta parte do episódio

Versões para consoles, falar mal do 3DO (novidade), Amiga, DOOM Engine, código-fonte, descendentes e influências, e causos nossos.

Links do podcast

Música de fundo

Trilha sonora para você rodar DOOM e matar demônios enquanto ouve este podcast.

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Recuperação do dia: Código-fonte do interpretador Z da Infocom, para CoCo

Falamos um bocado sobre a Infocom no episódio 42, e seu seminal adventure, Zork. E como falamos lá, os adventures da Infocom eram escritos segundo uma linguagem própria, a Z code. Eles fizeram um interpretador dessa linguagem (a Z-Machine) para que dessa forma, o adventure escrito nessa linguagem pudesse ser executado em qualquer outra máquina (sim, JVMs não são nenhuma novidade nesse mundão). Algo semelhante ao que o mestre Renato Degiovani fez com o Sistema Editor de Adventures.

Pois então, fizeram vários ports dessa Z Machine, mas o port para o CoCo (uma das máquinas mais lembradas quando falamos em adventures) não tinha sido encontrado… Até agora.

Continue lendo Recuperação do dia: Código-fonte do interpretador Z da Infocom, para CoCo

Código fonte do Orca/C disponibilizado

Os códigos fonte do compilador, da biblioteca e do linker do Orca/C foram disponibilizados pelo autor do programa, Mike Westerfield, através da conta da Byte Works Inc. no GitHub. O Orca/C funciona tanto como um ambiente de desenvolvimento e compilador padrão ANSI C para computadores Apple IIGS.

( A2Central )

Código fonte do MS-DOS 1.1 e 2.0 disponível.

Onde mais? No Github, claro. Está todo em Assembly 8086, com direito a cartinha do Tim Patterson junto. A Microsoft anunciou o lançamento aqui, a propósito.

Fonte: Binni Shah (Twitter – sim, ela é indiana).

O código-fonte do PC-MOS/386 5.01

O lançamento do Intel 80286 e, principalmente, do 80386 gerou uma série de sistemas operacionais multiusuário compatíveis com o MS-DOS; um deles foi o PC-MOS/386.

O código do PC-MOS/386 5.01 foi liberado e está no Github

Aproveite o feriado para escrever código para MSX.

Seguem duas dicas rápidas:

  • Na página da dupla Dvik & Joyrex tem várias ferramentas usadas por eles para fazer seus demos, inclusive um player de música no formato PT3, com o código todo disponível em C.
  • Se você usa Linux e mais especificamente GNOME, conhece o gedit, que é o “bloco de notas” desse ambiente. Pois é, existe um plug-in para ele que permite que você controle o OpenMSX, além de syntax highlighting para Assembly de Z80.

Super Star Trek nos dias atuais.

Bem, entre outras coisas que vocês já sabem, eu sou trekker. Sim, sou muito, mas muito fã dessa franquia que terá no próximo mês mais uma série sendo lançada, Star Trek Discovery. Sou do tipo que tem maquetes das Enterprise na sala de casa, além de livros relacionados à franquia, episódios e filmes em DVD e Blu-Ray (apesar de não ter o player), entre outras coisas. Sim, eu sou maluco.

Mas nosso assunto é o jogo Super Star Trek, que remonta aos anos 1970, antes das convenções meta-espetaculosas e essa explosão do que é ser nerd…

Continue lendo Super Star Trek nos dias atuais.

Amiga intros ao seu dispor!

Eu sempre disse que para mim, demos e intros são formas de arte devido à sua capacidade de nos causar sensações. Então, o pessoal do Generation Amiga nos repassa a boa notícia: Cerca de 50 (sim, cinquenta) intros feitos para a maior criação de Jay Miner foram liberados. Sim, todos escritos em Assembly, e agora é possível ver como aqueles efeitos fantásticos foram feitos.

Se você quiser baixar, dê um pulinho no Vintage Is The New Old, leia o que eles escreveram e baixe o pacote ZIP. E se divirta.