Arquivo da tag: Anos 70

Jogos de Guerra: A mente de Joshua

Dave Jones do canal EEVBlog traz uma revelação que, se não era  exatamente um segredo de estado, pouquíssimos sabiam. Pelo menos nós não sabíamos. Lembra do filme Jogos de Guerra? De 1983? Com Matthew Broderick? Falamos sobre ele, e sobre o filme, no episódio 61 (ouça a parte A e a parte B). Pois então: os gráficos gerados pela inteligência artificial Joshua, que controla o arsenal nuclear dos EUA, na trama do filme…


Continue lendo Jogos de Guerra: A mente de Joshua

A Computação Brasileira, ameaçando começar mas batendo na trave

As coisas que você descobre passeando ao acaso em repositórios de publicações antigas. No número 82 da Revista Saber Eletrônica, de junho de 1979, esbarro com este artigo:


Eu poderia ficar aqui discorrendo sem fim sobre as implicações sociológico-histórico-culturais da ilustração, mas vou me conter e só falar um pouco da máquina e do fabricante.
Continue lendo A Computação Brasileira, ameaçando começar mas batendo na trave

Mosca Branca do dia: MPT/100 microNOVA

Aí tou vendo as postagens no grupo Retrocomputing do fêissi e alguém posta este anúncio. Mais anos 70, impossível.


Eu diria que este anúncio é muito cringe, já que os anos 70 eram cringe.
Mas chamar as coisas de cringe é muito cringe, então não vou chamar de cringe.

Fiquei curioso, não sabia que a Data General tinha transformado o mini deles em microcomputador. Fui ler a respeito. Mais uma de muitas tentativas fracassadas de fabricantes de computadores de grande/médio porte se aventurarem nos primórdios da microinformática. O microprocessador se chamava mn602*, foi clonado por algumas empresas, incluindo a Fairchild, e… teve processinho envolvido. Esse pessoal realmente não sabe brincar.

Fuçando mais um pouco acho um site britânico dedicado à arquitetura NOVA e o camarada tem um MPT/100 original, inteiro! Só que ele não completou o Rise From Your Grave, tá parado há dois anos e meio. As fotos a seguir são só uma pequena amostra, na página do inglês tem um montão a mais e algumas informações históricas interessantes.
Continue lendo Mosca Branca do dia: MPT/100 microNOVA

Site maneiro do dia: DQSoft

Gosta de ler crônicas da Era Selvagem da informática tupiniquim? Claro que gosta, senão não estaria lendo isto aqui neste momento. Pois então. Daniel Quadros é hacker de raiz, trabalhou na Scopus, e para nossa alegria deu-se ao trabalho de contar todas as histórias da época que ele viveu ao vivo e a cores.

Aqui, por exemplo, o Daniel fala de um software de comunicação de dados genuinamente nacional para MS-DOS no qual ele trabalhou em 1986. Essa história em particular está sendo contada neste momento. (Ela continua aqui, aqui e aqui.)


Vai lá. Te garanto que se você gosta deste site vai gostar desse, e vice-versa.

Curiosidade deprimente do dia

Você sabia que o lançamento do Sega Dreamcast está mais próximo, no tempo, do lançamento do Atari 2600 que do dia de hoje?

Velho, não. Clássico. Velho é o seu PC. Isso se aplica aos três.

Agradecemos (ou melhor, xingamos) o Leandro Gomes do grupo do Canal-3 pela informação que enriqueceu nosso dia. #sqn

Apple 1 à venda… no eBay!

Não é leilão. Está no “compre agora”. Por um milhão e meio de doletas. Com certificado de autenticidade e o escambau. Maaaaas… você pode fazer uma oferta. Quem sabe? O não você já tem.

Fotos do bichim (funcionando!) abaixo.
Continue lendo Apple 1 à venda… no eBay!

– Capitão, há uma imprecisão histórica nesta cena.

– Como assim, Sr. Spock?
– O infográfico diz que a cena se passa em 2019. Nessa época, se bem lembro dos registros históricos, a tecnologia retratada já era obsoleta há mais de 40 anos.
– Sr. Spock, isso é porque a cena retrata um hobby terrestre chamado Retrocomputação.
– Dedicar tempo e esforço para dominar uma tecnologia com um milionésimo da performance da que há disponível é, no mínimo, de utilidade questionável.
– Pois tem gente que se dedica a isto ainda hoje, sabia?
– É mesmo, Dr. McCoy?
– Um amigo meu da Academia tem em casa um PDP-11, um TRS-80, um Raspberry Pi 8 e um Sycamore 191. Ainda funcionando depois de 250, 300 anos.
– Seu colega se comporta de forma altamente ilógica.
– Desisto, Jim, esse orelhudo jamais vai entender o prazer de decifrar um mapa de memória de 64 KB.
– Seja mais compreensivo, Bones.

Mosca Branca do dia: Interact Home Computer

Máquina de 1978, com processador Intel 8080, 2 KB de ROM, 16 KB de RAM, e sem sequer BASIC na ROM — tem que ser carregado de fita. Adquirida por um membro da comunidade Retrocomputers do Facebook em Portland, Oregon. Detalhe: veio com fitas e manuais — dos quais não há cópia digitalizada em lugar nenhum! Naturalmente, pedi ao comprador que escaneasse. Espero que ele se sensibilize com o pedido.

UPDATE: Se necessário for, eu tenho um tarficante de dorgas pesadas em Portland disposto a ajudar. Por Júpiter, será que os bons tempos estão voltando?

(Via)

Mais um que escapou do nosso olho (míope) de águia

A gente tenta ser o mais abrangente possível no nosso podcast. Mas sempre acabamos falhando miseravelmente. Caso em questão: The Fonz.

É um jogo de fliperama da Sega, de 1976, ou seja, um dos primeiros. Contemporâneo do Night Driver, esse citado como pioneiro no nosso episódio sobre jogos de corrida (novembro de 2017, ouça a parte A e a parte B), mas The Fonz passou batido. Nele, o efeito 3D é bem mais ambicioso. Detalhe: sem microprocessador, só lógica discreta! (Assim como o Monaco GP, também da Sega e também citado no episódio.)

https://www.youtube.com/watch?v=osmPZZkCVKM

Não tente achar no seu emulador favorito, ainda não foi reproduzido. É raro, muito raro. E, não sendo baseado em microprocessador e sim lógica discreta, bem mais complicado de emular.

Para terminar, um folheto de propaganda do dito cujo, cavucado por Paulo Alves do grupo Retrocomputers do Facebook (e que, por sinal, foi o que aguçou minha curiosidade e resultou neste post).

Comerciais às terças: Cromemco System Three, 1979

Vídeo promocional do micrão profissional baseado em Z80 e rodando (quase sempre) CP/M. Acreditem se quiser, com uma placa de memória de 256K, ele podia rodar um sistema Unix-like multiusuário, chamado Cromix. Com bank-switching de todo o espaço de endereçamento de 64K de uma vez, porque segmentozinhos de 8K ou 16K são para os fracos. Pergunte-me como. Ou rode emulado.

(Via)