Episódio 92 – Pirataria – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 92 do Retrocomputaria.

Sobre o episódio

Pirataria é crime. Não ataque navios.

Nesta parte do episódio

Patente, direito autoral, história da pirataria retrocomputeira, pirataria de hardware, piratarias de mídia, pirataria…

Links do podcast

Música de fundo

Músicas piratas

Outras formas de ouvir

Não se esqueça de deixar seu comentário aí­ embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

0 pensou em “Episódio 92 – Pirataria – Parte A

  1. Interessante episódio, eu lembro de ter uma fita de 120 min da TDK (hoje sumiu,mas essa marca era tão famosa que até aparecia no Blade Runner de 1982) .

  2. Que atire uma pedra quem nunca copiou um K7 ou usou um cartucho piratex de video-game aqui no país !!!

    Hoje é possível ter o que você quiser em termos de computadores e vídeo-games, até o fim da reserva de mercado, só era possível ter alguns itens se tivesse alguém que trouxe-se escondido na mala.

    Muita coisa mudou, só espero que não voltemos para essa terrível época, pois prevejo dias sombrios a frente. De uns 6 meses para cá, tudo que tentei trazer de fora, foi taxado e se reclama-se do valor do imposto, leva-se uma multa. Parei de importar jogos e hardware do Japão por causa disso.

  3. Pelo menos no que me diz respeito, há quase duas décadas que não apelo para pirataria de jogos ou programas, e olha que praticamente tudo o que tive nos anos 80 (ZX Spectrum e MSX) e 90 (Amiga) foi pirateado, com exceção de alguns poucos programas originais que vieram “de brinde” em revistas de informática nacionais e importadas. Mas NÃO me arrependo, aliás me arrependo sim de uma coisa: De ter dado dinheiro à um monte de “softhouses” da vida (estes sim PIRATAS que lucravam às custas do trabalho alheio) ao invés de ter ficado somente na “ação entre amigos” (troca caseira de fitas e disquetes de jogos e programas)

  4. Só me auto corrigindo para dizer que o autor da versão para ZX Spectrum do R-Type é Bob Pape (não Pope!) e a bagunça nas fases aconteceu justamente na gravação da última — quem reclamou, a Activision fez a troca da fita.

  5. Muito antes de existir o conceito de software livre existia o conceito mais pragmático: Software libertado!