Episódio 69 – Sehquiço – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Enfatizaremos as últimas 4 sílabas do nome deste podcast sem dó nem piedade e muito menos sem sair de cima.

Nesta parte do episódio

Introduzimos (ui) o assunto do episódio, e daí passeamos por vetores, caracteres, blocos, papéis, terminais, BBS, Minitel, teletexto e histórias escolares para chegarmos em… arcades, adventures com temática sexual e, antes que vocês reclamem que não teve, erogames japoneses.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 69
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 51 minutos
  • Músicas de fundo: Deve ter a demo DHS Porno, a trilha sonora de Pink Sox etc
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí­ embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

0 pensou em “Episódio 69 – Sehquiço – Parte A

  1. Trabalhei como Oficial R2 no Centro de Informática do Exército (hoje Centro de Telemática) entre 1991 e 1994 e ainda utilizávamos mini-computadores COBRA 540 e impressoras de linha, e claro de vez em quando um oficial superior mandava a gente imprimir “aquele arquivo” que era todo em “text-art” 🙂 para os cristãos tinha uma imagem de Jesus também.

    BTW se forem fazer um episódio sobre mini-computadores tenho muitas histórias interessantes sobre o COBRA e o seu S.O.D. (sistema operacional de disco)

  2. Gastei algumas folhas impressas com essas preciosidades…kkk…eu lembro do jogo LSL no XT que tinha um quiz antes de começar o jogo para verificar se você era maior de 18 anos. Pensa em 3 adolescentes devorando o dicionário de inglês para tentar responder tudo… e quando finalmente a gente conseguia entrar no jogo, tentava fazer o Larry entrar em ação. Depois de jogar muito, foi uma grande decepção quando descobrimos que as cenas interessantes do jogo aparecia um banner CENSORED ( exemplo: http://www.sierraclassicgaming.com/wp-content/uploads/2013/07/lsl1_honey_moon_trap.png ) .

    1. Deveriam aproveitar que os gráficos são pixelados, para se inspirar na pornografia japonesa e encher de mosaicos a cena, ao invés de pôr uma tarja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.